sábado, 22 de julho de 2017

Dicas de Viagem: Dublin

A viagem foi realizada em Julho de 2017 durante o verão do hemisfério norte.


Sobre o Destino

Dublin, capital da República da Irlanda, fica na costa leste da Irlanda, na foz do rio Liffey.

Os seus edifícios históricos incluem o castelo de Dublin, datado do século XIII, e a imponente St. Patrick’s Cathedral, fundada em 1191.

Os parques da cidade incluem o verdejante St. Stephen’s Green e o enorme Phoenix Park, que contém o jardim zoológico de Dublin.

O museu nacional da Irlanda explora a herança e a cultura irlandesas também fica na cidade.
Fonte: Google Maps

Visto

Brasileiros não precisam de visto para uma viagem de até 90 dias para a Irlanda. Se você não é brasileiro, verifique a necessidade de visto no site do departamento de justiça irlandês.

Como Chegar

Os voos foram super baratos saindo de Londres Stansted pela Ryanair. e comprados pelo Kiwi.

Após a chegada ao aeroporto de Dublin, você pode pegar um táxi, que deve sair na faixa de 20.00EUR até o hotel.

Um alternativa é pegar o ônibus da linha 700 e descer próximo ao hotel. A viagem sair por menos de 3.00EUR mas é necessário ter um Leap Card.

Mas o melhor jeito mesmo para se locomover em Dublin é comprando o Leap Card Visitor para três dias, que são por 19.50EUR e permite viagens ilimitadas de ônibus, LUAS e DART dentro do período, o que parece suficiente para essa proposta de viagem.

Faça rapidamente sua pesquisa e reserva de voos por aqui:


Onde Ficar

A acomodação escolhida para essa viagem foi uma compartilhada para até 6 pessoas com banheiro privado no albergue Gardiner House, reservado pelo Booking, que também oferece opções de quartos simples ou duplos, entre outros.

O albergue é novo está bem conservado, tem staff amigável e prestativo e tem uma localização razoável.

Aluguel de Carro

Não foi necessário alugar carro nessa viagem, mas se o estilo da sua viagem requer um carro, não deixe de procurar as ofertas do RentalCars, que busca os carros mais baratos em diversas locadoras, exibindo todos os resultados em uma única interface.

Primeiro Dia

Após acomodação, comece a caminhar pelas ruas de Dublin. É fácil e as atrações são próximas.
Indo em direção ao centro uma das referências é a Abbey Presbyterian Church, que foi erguida em 1864 e tem estilo gótico.

Bem próximo à abadia está o monumento em homenagem às Children of Lir, uma lenda irlandesa em que crianças foram transformadas em cisnes e viveram por mais de 900 anos em diversos lagos enquanto São Patrício transformava a Irlanda ao Cristianismo. O monumento fica no Garden of Remembrance, um jardim em memória a "todos que deram sua vida pela causa da independência da Irlanda".

Ainda no caminho, já na O'Connell Street Lower você vai poder ver The Spire, que é uma espécie de obelisco e foi projetado pelo grupo Ian Ritchies Architects em reposição ao Nelson's Pillar, destruído por uma bomba do IRA em 1966.

Continuando a caminhada no mesmo sentido pela O'Connell voce vai chegar ao Dublin Castle, construído em 1204 como uma fortificação de defesa para a cidade de Dublin, posteriormente virou residência real. Na noite do Bloody Sunday, três membros do IRA foram torturados e mortos no castelo. A entrada custa 10.00EUR com guia ou 7.00EUR sem guia.
Por trás do Dublin Castle você encontrará o amplo Dubh Linn Garden, que inicialmente era o lugar ou ficava perto de uma piscina escura, depois se transformou num heliponto e hoje é um belo jardim, onde em dias quentes de verão é possível sentar e fazer um piquenique. Foi essa piscina que deu o nome à cidade. As serpentes do mar no chão são um simbolismo celta.

Nesse jardim você pode encontrar o busto da jornalista Veronica Guerin, cuja sua história reflete na história atual da cidade pela sua atuação contra o cartel de drogas que se instalou em Dublin durante os anos 90.

No perímetro do mesmo jardim você ainda pode encontrar a Chester Beatty Library, um museu sobre o tradições sagradas e artísticas, estabelecido em 1950. A entrada é gratuita.

Ainda a pé é possível ir a famosa região do Temple Bar, com seus vários pubs e restaurantes. Não deixe de experimentar doces feitos a base de Bailey's e um original café irlandês. A região também é famosa pela suas atracões noturnas, porém um pouco mais caras e voltadas para turistas. O Button Factory é um dos pubs mais famosos da região.

Estando no Temple Bar não deixe de almoçar no restaurante mais agradável da cidade: The Church, originalmente construída como igreja de Santa Maria no começo do século 18, foi fechada em 1964 e só foi reformada e reaberta em 1997 como um bar. Em 2007 foi comprada e renomeada para The Church Bar & Restaurant. Nessa igreja foi celebrado o casamento do fundador da Guinness.

Apos o almoço continue sua caminhada pela cidade, agora beirando o River Liffey. Comece pela Ha'penny Bridge, que tem uma historia curiosa, pois foi construída por um operador de ferries que levava pessoas de uma margem a outra do rio. Como as condições dos ferries eram precárias, a administração da cidade deu duas opções a ele: reformar os ferries ou construir uma ponte. Ele optou pela segunda alternativa e teve direito de explorar a ponte por 100 anos.

Em seguida visita a vizinha Millennium Bridge, que teve problemas de ressonância após sua inauguração em 2000.

Retorne ao Trinity College, fundado em 1592 pela rainha Isabel I da Inglaterra, fazendo parte da Dublin University, a mais prestigiada do país. Sua maior atração é a Old Library, com mais de 200.000 volumes decoradas com bustos de personalidades irlandesas e a harpa mais antiga da Irlanda, símbolo do país, além do Book of Kells, peça principal do Cristianismo irlandês contendo quatro evangelhos. A entrada para ver a exposição do livro custa 12.00EUR.

Antes de retornar ao hotel não deixe de visitar o Croke Park, palco dos mais importantes concertos e jogos da capital. Se algo divertido estiver planejado para a época da sua viagem não deixe de comprar os tickets pela web, como o site da TicketMaster ou o da GAA.

Apos o retorno ao albergue para uma ducha e um rápido descanso, visite o excelente The Celt para apreciar boa comida irlandesa e apresentações de bandas locais tocando musica celta.

Segundo Dia

Programe-se para visitar o Malahide Castle, propriedade do cavaleiro Richard Talbot, construído em 1185, servindo de residência para sua família por quase 800 anos. A área eventualmente é usada para realização de concertos de música. Os intervalos dos trens ou ônibus podem ser longos, e se você quiser fazer um tour pelo castelo isso pode requerer mais 45 minutos do seu dia. A entrada ao castelo com o tour custa 12.50EUR.
Se quiser almoçar na região você vai encontrar restaurantes com jardins belíssimos à beira do Mar Irlandês.

Se optar por voltar à Dublin, você pode almoçar em um dos excelentes restaurantes Bloom Brasserie ou Brasserie Sixty6, que ficam numa área mais central. Não precisa lembrar que a bebida para acompanhar qualquer prato é uma Guinness.

Explorando a região oeste da cidade, não deixe de vistar a Saint Patrick's Cathedral, fundada em 1191, é a catedral nacional da igreja irlandesa, sendo a maior e mais alta igreja do país. A entrada custa 8.00EUR.
À pé ou de transporte público, você pode chegar ao National Museum of Ireland, com entrada gratuita e que conta um pouco da história do país através de artes, cultura e história natural.

A poucos metros do museu fica o Phoenix Park, um parque urbano da cidade, ao norte do River Liffey, com um perímetro de 11km e uma área de 707 hectares. O parque abriga o zoológico de Dublin, a cruz papal e o Wellington Testimonial, o maior obelisco da Europa em homenagem às vitórias do Duque de Wellington. No parque também vivem inúmeros veados.

Na sequência, se ainda tiver energia, visite o Kilmainham Gaol Museum, uma antiga prisão onde vários revolucionários irlandeses foram aprisionados e executados pelos britânicos. À tarde a visita fica por apenas 5.75EUR.
Finalize sua tarde com uma prazerosa visita às instalações da Guinness Storehouse. A entrada custa 20.00EUR e vale cada centavo. Além de conhecer a história da cerveja e de sua marca, você poderá ver os funcionários se apresentando ao som de música celta, experimentar tirar o seu chopp perfeito e apreciar a vista da cidade num bar localizado no topo do edifício.

Pegue um transporte público de volta à cidade, nesse momento você deve estar cansado e relaxado, para apreciar um jantar no patio do Murray's Bar, que fica bem perto do albergue, ou no Damascus Gate, um restaurante especializado em comida síria e libanesa e com apresentações musicais, que faz referência a uma das entradas de Jerusalém.

Faça uma boa viagem!



Nenhum comentário:

Postar um comentário