Dicas de Viagem: Paris

Viagem durante o inverno no hemisfério norte, entre os dias 3 e 8 de Dezembro de 2013.

O vôo foi pela TAM e a hospedagem no super bem cuidado Hostel Pajol, que também conta com um excelente staff.

Como Chegar

A  chegada é pelo aeroporto Charles de Gaulle. Para ir à Paris, você precisa pegar o RER B, que custa por € 9,50, e descer na famosa Gare du Nord. De lá você deve ir andando por dentro da estação até sair na estação La Chapelle. O hotel fica bem próximo à estação.

Antes de iniciar suas caminhadas pelas ruas de Paris uma dica: você vai encontrar alertas de pickpockets (batedores de carteira) por todos os lados, inclusive dentro do Louvre e do elevador da Torre Eiffel.


A segunda dica está relacionada ao uso do metrô: guarde o bilhete consigo até a saída, pois é necessário para liberar as catracas.

Primeiro Dia

No primeiro dia, após acomodação no hostel, pegue um metrô na estação Gare du Nord e siga em direção à St-Michel, pela linha roxa (ou lilás). É hora de ir conhecer um dos bairros mais filmados de Paris: o Quartier Latin. Também referenciado na ópera La Bohème.
Se estiver com fome, considere um jantar no restaurante Le Marmiton de Lutece, com vinho e água da casa. Ah, e com um atendimento excelente!

Inicie uma deliciosa experiência pela cidade-luz, caminhadando pelas ruas dessa região. Elas, as ruas, são estreitas e cheias de restaurantes e lojas de souvenirs.


Nesse passeio inicial, você já vai ter a oportunidade de ver e ouvir as águas do rio Sena. Aproveite para andar vagarosamente às margens dele.

Atravessando uma de suas pontes, do outro lado do rio, é possível apreciar a Catedral de Notre-Dame de Paris, observando seu mix de arquitetura gótica e barroca. O local já foi palco de acontecimentos importantíssimos na história, como a coroação de Napoleão I como imperador da França e a beatificação de Joana D'Arc.
Em frente à catedral está o marco zero da França, marco do qual todas as distâncias de rodovias são medidas.

Se estiver ansioso(a) por já ver o símbolo máximo da cidade, faça uma caminhada mais longa até a torre Eiffel e se surpreenda com os efeitos de luz piscando em períodos regulares.


Para tirar fotos com ela ao fundo, o melhor lugar, sem dúvida, é no Trocadero, do outro lado do rio.


Uma vez estando no Trocadero, dê mais uma caminhada e siga até o Arco do Triunfo.


Mais tarde, fica a opção de assistir a uma peça do Moulin Rouge e ver o can-can parisiense. Dependendo do dia da sua chegada, anexo ao Moulin Rouge existe a La Machine du Moulin Rouge, que é tão divertido e turístico quanto o próprio Moulin.

Segundo Dia

No segundo dia tome café da manhã no hostel e saia cedo em direção ao Museu do Louvre. Chegar cedo é importante, caso você não queira gastar mais que um dia no museu.
A entrada custa € 16,00 dando acesso às exposições permanentes e aos apartamentos de Napoleão e pode ser comprada pela internet. Antes da visita, sugiro se planejar para que você não se perca lá dentro entre as galerias. O museu disponibiliza mapas em vários idiomas.
Entre as visitas interessantes do Louvre, que está dividido internamente em três alas, estão na ala Richelieu: o Código de Hamurabi e os apartamentos de Napoleão III; na ala Sully: os fossos do Louvre medieval, a hipnótica Vênus de Milo (Afrodite), toda área reservada a cultura egípcia e, em especial, o sarcófago do rei Ramsès III; na ala Denon: a Sagração de Napoleão I na Notre Dame pelo papa Pio VII, a Monalisa (ou Gioconda, em seu nome original), a Liberdade Guiando o Povo e as Bodas de Caná.
Além de tudo isso, são de chamar atenção a pirâmide, a pirâmide invertida e os afrescos do teto. É possível pegar um guia de áudio através de um Nitendo 3DS, logo nas entradas das alas.

Saindo pela frente do museu, sem pensar muito, caminhe reto pela longa avenida que vai encontrar. Se parar, aproveite para comer guloseimas locais, como um crepe com recheio de Nutella. Quando você menos esperar você estará na avenida mais charmosa de todo o mundo: a Champs Élysées, com suas árvores e lojas com vitrines tentadoras. Se caminhar um pouco mais você vai chegar novamente ao Arco do Triunfo.

Aproveite para jantar por ali mesmo e sem pagar caro: existe um café na Rue La Boétie chamado Baroche Cafe Brasserie que é bem frequentado e tem sobremesas sensacionais. Experimente o mil folhas de lá! E siga provando os vinhos franceses.

Terceiro Dia

No terceiro dia, após o café da manhã, pegue um RER em direção ao Château de Versailles.
Fique atento ao bilhete diferenciado do trem, pois você vai sair da área central de Paris. E se lembre que você deve manter o bilhete consigo até passar na catraca da saída da estação.
Após descer na estação final, caminhe por mais 5 minutos e chegue ao palácio. Os ingressos podem ser comprados ainda no caminho, no Escritorio de Turismo de Versailles, que fica na própria Avenue Paris, ao lado do Hotel des Roys.
Logo na entrada e possível ver uma estátua de Louis XIV e em seguida os portões do palácio.
Versailles impressiona por cada detalhe de arquitetura: a capela, o salão de festas, o salão de recepções, os quartos. Existe uma versão do quadro da sagração de Napoleão também aqui. E todos os quadros são fantásticos!

Um espetáculo à parte no Château são os seus jardins. Não deixe de caminhar por eles e se perder em seus corredores. Cenário perfeito para qualquer casal apaixonado.


Esse é um passeio de dia inteiro. Aproveite para almoçar e jantar pelos aconchegantes restaurantes da região.


Na volta, desça na Gare du Nord, uma das principais estações de Paris, citada em várias obras literárias e cinematográficas.


Caso tenha voltado a Paris mais cedo, não deixe de visitar o centro de compras mais conhecido da cidade: a Galeries LaFayette. O centro fica aberto diariamente ate as 20h e para chegar la basta descer na estação Chaussée d'Antin-La Fayette.

Quarto Dia

No quarto dia tome café da manhã em alguma boulangerie. Oportunidade para se esbanjar nos doces franceses. Se aguentar, prefira uma que seja perto do destino da manhã, que é a Basílica de Sacré Coeur de Montmartre.

Caso tenha fôlego, suba as escadarias até chegar ao domo da Basílica, para ter uma vista inigualável de Paris.


Os arredores da basílica também são uma atração: as ruas cheias de restaurantes, bistrôs e cafés. Sugiro uma pausa para um café no La Galette des Moulins, na Place du Tertre, próximo à Basílica. Oportunidade para tomar um bom caf
é e se aquecer um pouco, caso o dia esteja frio.


Após a visita ao gostoso bairro de Montmartre, uma opção de visita são as Catacumbas de Paris. Faça um tour com um guia de áudio, que ajudará você a entender quais problemas de saúde pública Paris enfrentava na época da construção das catacumbas.


Estando naquela região, sugiro o almoço no Jardins Contini, na Avenida Général Leclerc. A massa com salmão de lá é fantástica.


Caso queira um jantar mais agitado nessa noite, vá multi-facetado Delaville Cafe, com ambientes para dois, para a turma ou para ficar em pé, ao som de uma trilha sonora agradável.
Na avenida desse café existem várias baladas, que ficam como opção para os noctívagos que querem dar uma esticadinha.

Quinto Dia

No quinta e último dia sugiro tomar uma café da manhã bem parisiense em algum restaurante com terraço. Você vai sentir o clima aconchegante desses terraços, sempre ao som de boa musica francesa.
Dentro do roteiro aqui proposto, esse é o dia mais esperado para quem viaja à Paris! Dia de pegar um Batobus no rio Sena, que permite subir e descer várias vezes por um período determinado de tempo, e apreciar todo o trajeto, passando pela Notre Dame e ao final chegando à magnífica Torre Eiffel.


Chegando à torre, não deixe de subir até seu último andar. Existem opções de subir para andares mais baixos, porém a vista lá do topo é a melhor.
Na torre, é possível ir a um de seus restaurantes para almoçar ou jantar. Reservas são necessárias.


Um dica bem importante: compre seu ingresso pela internet e evite filas longas e demoradas, mesmo no inverno.
Lembrando que à noite há um espetáculo de luzes que piscam na torre de hora em hora. Vá ao Trocadero para tirar fotos e filmar, além de ter a oportunidade de fotografar o famoso carrossel.


Ainda naquela região, pegue o Batobus novamente e desça na Pont des Arts, ponte que liga o Museu do Louvre a Academia Francesa e local onde casais apaixonados selam seus amores colocando um cadeado nas grades da ponte. Isso tem gerado um problema para a prefeitura de Paris, por causa do peso que se adiciona à ponte. Regularmente a prefeitura remove alguns cadeados para aliviar seu peso.
Caso ainda sobre tempo nesse dia não deixe de visitar um desses dois museus: o Museu d'Orsay ou o Museu Rodin.
Não perca a oportunidade de jantar olhando para a torre no Le Malakoff, que fica em uma das esquinas por trás do Trocadero.

Hora de arrumar malas e pegar um RER B de volta para CDG.

Uma opção de hospedagem barata e bem localizada operacionalmente é no Hotel Garde du Nord.


Compre vinhos em supermercados ao invés de esperar para o free shop. Se possível, faça o mesmo com queijos.


Boa viagem!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas de Viagem: Nagoya

Dicas de Viagem: Okinawa

Dicas de Viagem: Kansas City e Redondezas