Dicas de Viagem: Montréal e redondezas

Viagem de 10 dias e 9 noites realizada entre 18 e 27 de Novembro de 2011, durante o outono no hemisfério norte.



Sobre o Destino

Montréal é a maior cidade da província do Quebec no Canadá. Está situada numa ilha no rio São Lourenço e seu nome vem do Monte Royal, uma colina tripla em no coração da cidade. Os bairros, muitos dos quais já eram cidades independentes, incluem o Cobblestoned, o em estilo colonial francês Vieux-Montréal - com a Basílica Notre-Dame gótico revival em seu centro - ao boêmio Plateau.
Fonte: Google Maps

Visto

Se seu voo pousar nos Estados Unidos você também precisará de um visto americano.

Brasileiros precisam de um visto de turismo para uma viagem de até 3 meses de estadia para visitar o Canada. Os vistos podem ser de entrada simples ou múltiplas entradas. Para informações sobre como tirar um visto canadense, acesse o site do Canada Visa Information Centre, com escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Caso você já tenha tido um visto canadense nos últimos 10 anos ou se você possui um visto americano válido então você é elegível ao processo mais rápido e fácil chamado autorização de viagem eletrônica, no qual o processo de preenchimento e obtenção da autorização leva 1 hora, custa 7.00CAN e vale por 5 anos.

Outras cidadanias podem verificar a necessidade de visto através desse link.

Como Chegar

Voo saindo de São Paulo na sexta-feira às 11h00min, com escala em Newark, US pela Continental Airlines. A passagem custou 860.00USD sem taxas de embarque.

Você deve fazer alfândega nos Estados Unidos e depois, novamente, no Canada.
Chegada ao aeroporto internacional de Montréal Pierre Elliott Trudeau às 9h46min (horário local), que fica a uns 20 km do centro de Montréal.
Você pode pegar o 747 Express Bus que leva você ao centro de Montréal, na estação de metrô Berri-UQAM. A passagem pode ser comprada em um ATM da STM no próprio aeroporto e custa CAN 8.00. Caso queira pagar diretamente no ônibus, esteja seguro que você possui moedas, pois eles não aceitam cédulas.

A taxa de câmbio no aeroporto não é muito atrativa, portanto aconselho fazer o mínimo necessário. Prefira fazer nas casas de câmbio do centro de Montréal.

O transporte público funciona muito bem. Inclusive durante a noite/madrugada. Porém, fique atento que o metrô para de funcionar em torno de 1h da manha. Para mais informações acesso o site da STM. Se for ficar em Montréal por mais de uma semana, vale a pena comprar o cartão da Opus que custa CAN 6.00 e ficar abastecendo com cargas de uma semana ou um mês. A carga de uma semana vale da segunda-feira ate o domingo seguinte, enquanto que a carga do mês vale do primeiro dia do mês ate o ultimo. Não vale comprar carga do mês se o mesmo estiver chegando ao fim, é melhor comprar cargas semanais neste caso.

Onde Ficar

O albergue dessa viagem foi escolhido pelo site da Hostelling International. Existem quartos com 10 camas com banheiro privativo. A diária custa 21.00CAN para quem é sócio da HI, o que é bem apropriado para quem ficar longos períodos na cidade.

O hostel se chama Auberge de Jeunesse e fica na 1030 Rue Mackay, bem próximo a estação de metrô Lucien-L'Allier. Mão na roda!

Primeiro Dia

Montréal tem um espírito incrível!

No primeiro dia, apos se acomodar no albergue, vá caminhar pela Rue Sainte-Catherine, uma rua cheia de lojas e entretenimentos.

Lá, existe o Eaton Centre, um shopping gigantesco que também dá acesso ao RESO, a cidade subterrânea de Montréal.

Querendo pegar um filminho e curtir uma experiência IMAX, ao lado existe o Scotia Bank Theatre.

Almoce em uma das opções do shopping. Você não vai se desapontar.

Caminhando um pouco mais pela Sainte-Catherine, você encontra a Place des Arts, um complexo de entretenimento que conta, inclusive, com a Opera de Montréal. Durante o verão é lá que acontece o Festival de Jazz de Montréal.
Ao lado da Place des Arts existe o Musée d'Art Contemporain de Montréal, um excelente museu para se conhecer na cidade.

Voltando para o lado do hostel, aproveite para jantar no O. Noir, um restaurante cuja proposta é que você tenha uma experiência única de sentidos: o ambiente é completamente escuro! Para escolher o prato, existe uma ante-sala com meia-luz. Após a escolha, um garçom cego acompanha você ate sua mesa. Durante a refeição, você percebe o quanto é difícil usar garfo e faça para comer no escuro. Em compensação, o paladar fica muito mais aguçado e você presta muito mais atenção na conversa das pessoas que estão a sua mesa. O restaurante existe em Toronto e recentemente abriu uma unidade em Montréal.

Após o jantar, vá curtir um jogo do Canadiens Habs, time quebecois que joga pela NHL, no Centre Bell.
Se quiser comprar ingressos mais baratos, procure cambistas apos o final do primeiro quarto.

Segundo Dia

No segundo dia, visite um dos inúmeros restaurantes da Tim Hortons e coma um delicioso bagel canadense, acompanhado de um café com creme de baunilha francesa. Ah, e se quiser comprar um para levar para casa, recomendo um concentrado da Nestlé que já vem com uma bombinha, chamado Coffee Mate.
Pegue um metrô e desça na estação Place d'Arms, pois hoje é dia de visitar o Vieux-Montréal.

Caminhe um pouco e chegue a Basílica de Notre-Dame, com uma bela arquitetura e um acervo sacro belíssimo. Se quiser ir à noite, existe um espetáculo de luzes chamado Et la Lumiere Fut, com o valor de CAN 10.00.
Após a visita a basílica, caminhe mais um pouco e chegue ao Centro de Ciências de Montréal.

Almoce num restaurante muito agradável que fica por trás do mercado chamado L'usine de Spaghetti Parisienne du Vieux-Montréal.
Aproveite para tirar varias fotos da beleza do Vieux-Port. Nos fins de semana existem espetáculos de fogos de artifício, dependendo da estação que você esta por lá.
Após as fotos no porto, siga ate a Capela de Notre-Dame-de-Bonsecours, que fica ao lado do Marche Bonsecours. O mercado é um bom lugar para visitar, mas para compra de souvenirs recomendo as lojinhas da Sainte-Catherine mesmo.
Para ter uma experiência bem quebecois, tire a noite para comer e escutar musica francesa no Les 2 Pierrots, um lugarzinho muito aconchegante ali mesmo no Vieux-Montréal.

Terceiro Dia

O destino é o Parc du Mont-Royal no terceiro dia. Aproveite para tirar varias fotos no lago e nas deslumbrantes vistas de cima da cidade de Montréal.
Ao lado do parque existe o Cimetière Notre-Dame-des-Neiges, com um aspecto bem diferente de cemitérios no Brasil. Acredite em mim: no inverno, quando o cemitério esta coberto de neve, a vista é bem pitoresca.
Nesse dia, faça uma programação boemia: conheça as diversas micro-cervejarias de Montréal.

Dependendo da ultima parada você pode seguir a seguinte programação:
1) Brutopia, uma cervejaria bem próxima ao hostel e com musica ao vivo, onde você pode deixar seu nome numa lista e subir ao palco para tocar também;
2) BENELUX, uma cervejaria que tem a decoração em forma de um cofre de banco;
3) Dieu du Ciel, a melhor das três cervejarias e já foi considerada a melhor cervejaria artesanal do mundo.

Se você seguir essa sequência, termine a noite no Baldwin Barmacie, um bar baladinha com gente bonita e musica agradável.

Caso você queira fazer a sequência inversa (3-2-1), termine a noite em um dos Jazz Clubs de Montréal: Upstairs Jazz, que fica na mesma rua do hostel, ou House of Jazz, que fica na Rue Saint-Laurent.

Quarto Dia

No quarto dia, você pode conhecer a cidade de Québec. Recomendo fortemente usar a operadora chinesa Wonder Travel, que tem preços imbatíveis. Procure por Angélica, uma atendente latina muito simpática. Para conhecer Québec e as cataratas de Montmorency eles cobram apenas CAN 39.00.
A parada inicial é nas cataratas de Montmorency, que é 30 metros mais alta que a Niagara, porém não tem o mesmo volume e beleza. Um belo lugar para fotografias do rio Saint-Lawrence.
Québec é uma cidade muito bonitinha e a parte velha é cercada por um muro, único restante na América do Norte, da época da luta entre franceses e ingleses pela posse do Canada.

Nesse passeio, após a visita as cataratas, é possível ter uma vista panorâmica da cidade, através do Observatoire de la Capitale.

Depois da torre, o ônibus segue para o Vieux-Québec, onde você pode fazer compras, tirar fotos no Chateau Frontenac e tomar um café ou um vinho pelos diversos restaurantes. Se quiser dar uma corridinha, ao lado do Vieux-Québec esta a Citadelle.

Caso estenda sua visita a Québec City, você pode mandar uma baladinha no Dagobert e também visitar o hotel de gelo.

Caso volte a Montréal, a noite comece um esquenta em dos baratíssimos bares próximos ao hostel: Peel Pub ou La Boite a Karaoke. Em seguida pegue um metrô e desça na estação Sherbrooke, siga pela Rue Saint-Arthur ate o Cafe Campus, para curtir uma baladinha ou um show de musica local. Imperdíveis são os shows de musica folk canadense, como Lake of Stew ou Old Man Luedecke.
Ou se preferir, pode mandar um Les Foufounes Électriques, com público mais jovem e vários andares com diversos ambientes.

Quinto Dia

Quinto dia: hoje é dia de visitas próximas ao hostel.

Comece pelo Musée des Beaux-Arts de Montréal, onde você pode ver obras de artistas consagrados como Renoir, Picasso e Rodin.
Após o museu, caminhando pela René-Lévesque você pode visitar a Cathédrale Marie-Reine-du-Monde.
Almoce no Baton Rouge. Tem um bem próximo ao Centre Bell.
Após o almoço, o destino é o McGill College, um conjunto de prédios históricos e que abriga o RedPath Museum.
No caminho do McGill, na McGill College Avenue, você pode ver o Le Banc du Secret.
Jante no La Cage aux Sports em frente ao hostel e se você ainda não teve a oportunidade, prove o poutine, um prato super tradicional em Montréal.
Como falei que o dia era de coisas próximas ao hostel, a noitada fica na Crescent Street. Faça um esquenta no MVP Bar Sportif e depois mande um Thurday's Bar ou Club Electric Avenue.

Se quiser encontrar um público mais bem vestido, vá ao Cavalli Ristorante Bar, que é uma balada muito bem frequentada com público mais velho. Tanto a Thurday's como a Cavalli não da para entrar de tênis. Fique esperto!

Sexto Dia

No sexto dia o destino é Ottawa.
Recomendo mais uma vez usar a Wonder Travel como seu agente de viagem. Eles cobram os mesmos CAN 39.00 por essa visita, passando pelo conjunto de prédios do Parlamento Canadense, onde você ter uma visita guiada e depois subir na Peace Tower e ter uma vista panorâmica da cidade, ver a Centennial Flame, uma chama que foi acesa em 1966 e permanece acesa ate os dias de hoje; visitar o Rideau Hall, alem de ver o Canal Rideau, que no inverno vira um imenso rink de patinação; visitar o Royal Canadian Mint e por fim o Canadian Museum of Civilization.
Uma curiosidade da cidade de Ottawa é que as placas nas ruas são escritas em francês e inglês.
Caso sobre tempo, você ainda por visitar o Canadian Museum of Nature.
Voltando a Montréal, jante no melhor hamburger de todos os tempos no Five Guys Burgers and Fries próximo a estação Square Victoria.

Aproveitando que já esta nessa região, mande uma baladinha no La Confessionnal, um dos melhores bares com dancing de Montréal, com um público mais velho.

Sétimo Dia

Caso ainda tenha fôlego, no sétimo dia tire para conhecer as atrações próximas a estação de metrô Vieau.
Comece pela Tour de Montréal, a mais alta torre torta do mundo (maior que a Torre de Pisa, na Itália). De lá você terá uma vista deslumbrante de Montréal. Uma opção é fazer essa visita ao entardecer.
Na sequência vá ao Biodome, que simula quatro tipos de ecos-sistema terrestres, entre eles a floresta tropical. É uma experiência e tanto.
Almoce no restaurante Les Princesses, lugarzinho bem pitoresco onde o destaque é o atendimento.

Um pouco mais distante fica a Biosphere, um belo lugar para conhecer também.
Após essas visitas, um restaurante que não pode deixar de ser visitado é o Restaurant Eduardo Duluth, que fica próximo a estação Sherbrooke. Antes passe na SAQ da Rue Saint-Denis e pegue um bom vinho.
Aproveitando que esta nessa região, sugiro as baladas Le Rouge Bar, que é uma com dois andares e esta sempre cheia; o Tokyo Bar, bem menor e com duas salas privadas para festas; ou a Buonanotte, público mais velho e bem frequentada.
Só uma observação: bons vinhos e outras bebidas não são encontradas em supermercados, apenas nas lojas SAQ - Société des Alcools du Québec.

Oitavo Dia

No oitavo dia, escolha um destino e se mande para lá.

Sherbrooke é uma cidadezinha a uma hora e meia de Montréal e lá você terá uma experiência num estilo bem francês no meio da América do Norte.

Mont Tremblant é a maior montanha para esportes de inverno próxima a Montréal. Para ir a Mont Tremblant você pode pegar uma excursão, ou pegar um ônibus do terminal Berri-UQAM, ou pegar um ônibus diretamente do aeroporto pela Sky Port.

Uma terceira alternativa, também para esportes de inverno, é o Le Massif.

As refeições nesses dias ficam por sua conta. Mas se voltar a noite a Montréal, não deixe de passar num Les 3 Brasseurs e prove uma de suas deliciosas cervejas artesanais.

Na última balada, siga para o La Mouche ou para o Imperial Room.

Se depois disso tudo sobrar grana e você ainda consegue ficar em pé, curta uma das After Hours Parties de Montréal. Uma bem conhecida é a Circus After Hours, que já teve apresentações de vários DJs internacionais.

Último dia é dia de compras finais de viagem. Você pode ir a um dos shoppings da cidade ou ficar na própria Sainte-Catherine.

Se tiver mais tempo, vá ate Toronto e Niagara Falls pela Wonder Travel. Esse último eu não tive tempo para fazer.

A Revista Montreal Mirror publicou no final de 2011 quais as melhores opções de nightlife da cidade.

Se você viajou ao Canada com a pretensão de ver uma Aurora Boreal, não deixe de consultar o site de previsões americano que contem Aurora forecast.

As auroras são bastante frequentes na região de Quebec City, pois sua diferença em latitude em relação a Montreal melhora consideravelmente suas chances de ver uma.

Ainda assim, quando as auroras são muito fortes (na sequência de uma erupção poderosa solar, por exemplo), podem ser visíveis muito mais para o sul porque a elipse auroral aumenta para cobrir latitudes mais baixas.

Para vê-las, é melhor estar fora da cidade, assim você mantem a poluição luminosa da cidade atrás de você.

Um boa viagem!


Receba roteiros incríveis do Blog do Papito



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas de Viagem: Okinawa

Dicas de Viagem: Nagoya

Dicas de Viagem: Kansas City e Redondezas