Dicas de Viagem: Recife e Litoral Pernambucano

Tenho tentado colocar aqui tudo o que é legal para se fazer quando se está em Recife.
Uma boa referência é o guia Descubra Pernambuco, que é uma campanha do Governo do Estado de Pernambuco para incrementar o turismo na cidade.
Para quem gosta de cachaça e não quer perder a oportunidade de conhecer uma cachaçaria pernambucana, fazer uma visita à Cachaçaria Carvalheira é uma boa opção.
O lugar é bonito e aos poucos vai se modelando para receber mais turistas.
Quem atende é uma garota chamada Natália. Ela conduz você por toda a cachaçaria, mostrando desde o alambique até as ilhas de envelhecimento da cachaça, que leva cinco anos para chegar ao amadurecimento e sabor final que encontramos na garrafa.

Para iniciar um city tour pelo centro do Recife, recomendo começar pela Casa da Cultura, antiga casa de detenção do Recife. Lugar ótimo para tirar várias fotos, entrar nas lojas-celas e se encantar com o artesanato recifense.
Às margens do rio Capibaribe e dotada com paredes de dois metros de largura, a Casa da Cultura é uma antiga detenção que havia em Recife e foi inaugurada em 1850 pelo governador da época, funcionando até 1974. Depois disso, em 1976, virou um centro de artesanatos no coração de Recife.
Há estacionamento no local, o que permite ganhar mobilidade como pedestre, que em Recife é adorável. Em dez minutos de caminhada você chega ao Mercado de São José. Indo pela Tobias Barreto, atravessando a avenida Dantas Barreto, entre na rua Direita e passe pelo beco que vai dar na rua das Calçadas. Após passar em frente à igreja da Penha, chega-se ao mercado.
Existem infinitas lojas para se visitar, sempre pechinchando, pois o primeiro preço nunca é o preço final. Não esqueça disso. Redes, artigos de couro e de palha, panelas de barro, cortes de carne regionais, queijos, camarão, mantega de garrafa, castanha, farinha de mandioca. Tudo eles dão um jeito do turista poder levar "pra viagem".


Uma das obras de arte que se encontram ali e que chamam muita atenção são as xilogravuras, que são cenas da vida nordestina ilustradas através de pinturas feitas com madeiras talhadas.
Essa obra abaixo é de um artista de Bezerros, município do agreste pernambucano a 110km do Recife, chamado J. Borges


Após todo esse passeio à pé, pode-se ir andando desde o final da rua das Calçadas ou voltar e pegar o carro na Casa da Cultura para ir até o Forte das Cinco Pontas. Se for de carro, é possível passar em frente à sede do Galo da Madrugada no início da rua da Concórdia, em frente a praça Sergio Loureto.
Essa praça tem um coreto lindo, onde antigamente as bandinhas da época tocavam nos fins de semana para a população local.
O Forte das Cinco Pontas foi construído pelos holandeses, que após terem sido expulsos, foi derrubado e reconstruído com apenas quatro pontas. O nome original do forte era Frederick Henrich (o príncipe de Orange) e foi construído na Ilha de Antônio de Vaz (atualmente Ilha de Santo Antônio).


"Bandeira do Recife sempre no alto"
No Forte funciona o Museu da Cidade do Recife. Chame um guia e seja conduzido pelas exposições fixas e temporárias do museu. Mostra com fidelidade a evolução urbana do Recife.

Se você quiser fazer um relaxante passeio de catamarã pelo rio Capibaribe a melhor opção é a Catamaran Tours, que oferece passeios diários saindo do Forte das Cinco Pontas.

Saindo do Forte e fazendo um retorno já no continente, no bairro de Boa Viagem, passando pelas pontes da Herculano Bandeira e da Antônio de Góes, aproveitando-se a vista do cais José Estelita, o dique de Brasília Teimosa e a marina de Recife, que se chama Cabanga Iate Clube.
Ainda de carro, volte ao Recife Antigo, cruze a ponte rotatória e passe pelos vários armazéns do porto, que hoje servem de teatros, espaços culturais e terminais marítimos de passageiros, com previsão de reforma completa dos armazéns para 2012.
Chegando ao Marco Zero, aproveite para tirar algumas fotos do pátio de esculturas de Brennand, do outro lado da maré, no dique, fotos do próprio Marco Zero de Recife ("Deste marco partem todas as distâncias para as terras de Pernambuco"), do busto do Barão de Rio Branco, da bolsa de valores de PE e PB, do Espaço Cultural BANDEPE, das avenidas alamedas Marquês de Olinda e Rio Branco.


À pé, é possível ir à torre Malakoff (onde funciona um observatório), Capitania dos Portos, Praça do Arsenal, até chegar na rua Bom Jesus (antiga rua dos Judeus). Nela se encontra a primeira Sinagoga das Américas, construída entre 1630 e 1654, época inicial do Recife, quando ainda se chamava Mauritsstadt e o holandês Mauricio de Nassau morava lá, fundando as cidades de Recife e Olinda num istmo único.



Pegue o carro e cruze novamente o Capibaribe e para ir ao Palácio do Campo das Princesas (Palácio do Governo) e o teatro de Santa Isabel.
Tem um poema do João Cabral de Melo Neto, entitulado Cão Sem Plumas, que fala do rio Capibaribe:

"A cidade é passada pelo rio
como uma rua
é passada por um cachorro; uma fruta
por uma espada."


Não esqueça de passear pela rua da Aurora, cartão postal do Recife, e atravessar o rio Capibaribe pelas suas diversas pontes, entre elas a ponte da Boa Vista, com suas passagens para carros e pedestres bem divididas. Na rua da Aurora estão o prédio da Assembléia Legislativa e o Ginásio Pernambucano (onde várias personalidades pernambucanas estudaram). Além disso, nessa rua morou Francisco do Rego Barros, o Conde da Boa Vista.

Próximo ao centro do Recife está o pólo médico da Ilha do Leite, onde estão concentrados vários hospitais e clínicas do Recife. Fica ao lado do bairro dos Coelhos, onde havia a fábrica da CILPE (Companhia Industrial de Leite de Pernambuco).

Próximo ao bairro da Ilha do Leite está outra Ilha, a gloriosa Ilha do Retiro, sede do glorioso Sport Club do Recife, onde na fachada se pode observar a inscrição: Campeão Brasileiro de 1987 - Campeão da Copa do Brasil de 2008. Além da estátua do leão bem em frente à sede.

No bairro dos Aflitos está a casa da Barbie (sede do Clube Náutico), parque da Jaqueira e o imperdível Guaiamum Gigante, no pé da ponte do Parnamirim, que também corta o rio Capibaribe.
No Guaiamum Gigante, fica-se enlouquecido com tanta variedade de frutos do mar. Deleite-se ao sabor inigualável dos caranguejos, prove a caipirinha de Sagatiba (delícia), e peça um senhor prato de camarão ao alho e óleo sem casca e sem cabeça, e depois uma charque na moranga, acompanhada de um arroz de leite fenomenal.
O Guaiamum Gigante abriu uma filial em Boa Viagem, no segundo jardim.

Caso queira conhecer Olinda, você estará nela partindo de Recife em apenas 10 minutinhos. São cidades vizinhas. Olinda é conhecida por seu carnaval. Mas se você estiver por lá fora da época de carnaval, vai encontrar muitas igrejas e muitos ateliês de artistas pernambucanos. Para subir as ladeiras, é possível pegar um trenzinho que fica passeando por vários pontos turísticos pelo centro histórico da cidade. Custa R$ 7,00 para um trecho do circuito ou R$ 15,00 para um passeio de dia inteiro. Com direito a uma parada no Alto da Sé, para apreciar a vista depois de comer uma deliciosa tapioca, e em seguida subir no elevador panorâmico e ver tudo mais de cima ainda, além de ter uma vista privilegiada do horto, que fica por trás do elevador.
O circuito, que equivale a uma média de 2 quilômetros percorridos, é iniciado no Carmo, em frente ao Receptivo Turístico, seguindo pela Rua do Bonfim, Ladeira da Misericórdia, Bernardo Vieira de Melo, São Bento, 27 de Janeiro, Praça de São Pedro, Prudente de Morais, Rua do Amparo, Saldanha Marinho, Alto da Sé, Ladeira de São Francisco e volta ao seu ponto inicial. Em cada parada terá placa em inglês e português, informando as atrações do entorno.


Um outro passeio que vale muito a pena é o passeio à Itapissuma, para almoçar uma deliciosa Caldeirada.
A Caldeirada é servida com um pirão, arroz e um prato cheio de crustáceos. A praça de alimentação de Itapissuma tem vários restaurantes. Atenção, alguns deles não aceitam cartão de crédito.



Cruzando a ponte ao lado da praça de alimentação de Itapissuma você chega à Ilha de Itamaracá, que da capital fica a 48 km.
Entrando na ilha e seguindo as placas, depois de alguns minutos de carro é possível chegar ao Forte Orange, fortificação construída pelos holandeses no início do século XVII.


Chegando ao forte, não deixe passar batida a oportunidade de conhecer a ilhota da Coroa do Avião, uma pequena ilha semi-deserta, onde é possível passar o dia curtindo o isolamento em suas águas mornas, ou comer frutos do mar em uma de suas barracas na praia. Para a travessia recomendo o barco Castelo Forte, do sr. Laércio, telefone (81) 9237 4453.




Outra praia pernambucana que vale a pena visitar, mas que fica um pouco mais distante da capital é a Praia dos Carneiros, próxima à praia de Tamandaré, litoral sul do estado. A chegada no acesso à cidade já é um presente: uma estrada de paralelepípedo cercado de mata atlântica preservada.


Para hospedagem, sugiro duas pousadas: a Pousada do Farol ou a Pousada Praia dos Carneiros.

A Pousada do Farol, localizada mais próxima à Tamandaré, conta com bangalôs amplos, com café da manhã, uma piscina com uma enorme torre no meio, quartos com ar condicionado e chuveiro com água quente.




Já a Pousada Praia dos Carneiros é localizada numa faixa de praia fantástica, conta com um restaurante na beira da praia aberto ao público, com café da manhã, chuveiro com água quente, uma piscina que é um espelho d'água, e no fim de semana com um pacote para passeio em um catamarã. Por ser aberto ao público, você pode se hospedar na Pousada do Farol e passar o dia na Pousada Praia dos Carneiros.






Não deixe de visitar a capela da praia dos Carneiros, que dependendo da maré, é banhada pelas águas mornas verde-azuladas do litoral pernambucano.


Estando na praia e não querendo ficar no restaurante da pousada, próxima à Pousada do Farol existe uma barraca de praia onde é possível beber e comer um bom peixe a um valor mais razoável. Dependendo do horário é possível que esteja lotado. Mas a barraca conta com cadeiras e enormes guarda-sóis.


Se quiser comprar snacks para matar a fome entre as refeições, você pode ir a algum dos mercados ou padarias de Tamandaré e fazer algumas comprinhas.

Para comer, várias opções de restaurantes, mas não deixe de conhecer o Deguti Cafés e Sorvetes para se deliciar com um de seus maravilhosos crepes.


Outras opções de hospedagem, não testadas por esse blog são: Sítio Recanto Feliz, fones (81) 3326 0836 / 8651 3739 / 9657 3508 e Chalés dos Carneiros, fone (81) 9952 8812. Ambos à beira mar.

Antes de passar na praia de Tamandaré, também no litoral sul, estão as praias de Porto de Galinhas e Serrambi, que são ótimas para fazer mergulho com snorkel e tem um mar de águas quentes e claras.



Para hospedagem em Porto de Galinhas, recomendo a Farol do Porto ou a Estação Porto, ambas próximas ao centro da vila.

Porto de Galinhas também oferece ótimas opções na gastronomia: a maioria localizada no centro urbano. Desde creperias até restaurantes especializados em frutos do mar.
Ah, e se você quiser mandar uma baladinha também um dos lugares que recomendo é o Birosca Bar.

Após Porto de Galinhas, seguindo a mesmo linha da praia, é possível chegar ao Pontal de Maracaípe, ponto favorito de surfistas, kite-surfistas e paraquedistas.
As pousadinhas de Maraca, carinhosamente chamado pelos mais chegados, são mais simples, mas não menos confortáveis. Recomendo a Pousada Maracaípe ou a Pousada Coqueiro.
Agora se a busca é por algo muito tranquilo, confortável, na beira-mar, com redes entre coqueiros, para curtir aquela brisa no entardecer, aí não tem jeito, a pedida é o aconchegante Xalés de Maracaípe (com X mesmo). Sem dúvida é um dos melhores custos x benefícios da região.

Com relação à baladas e botecos aqui vão algumas dicas:
- Para escutar rock na zona sul recomendo o UK Pub, super bem frequentado. O Downtown Pub reabriu e também é uma ótima pedida no centro do Recife.
- Se você gosta de brega, tá tendo umas festas muito iradas no Dona Carolina nas quintas. É diversão garantida mesmo!!!
- Pra dançar forró é na Sala de Reboco, forró o ano todo.
- Além da Sala, tem forró no Spirit Music, só que dá uma turma mais velha.
- E no domingo tem forró da Casa de Zé Nabo, que era no Torreão, passou pro Prado e agora não sei mais onde fica.
- Ainda no domingo, tem o Forró de Arlindo dos 8 Baixos, em Beberibe.
- Nas sextas, a cada quinze dias, tem uma festa que é muita gréia chamada Sem Loção, no Recife Antigo.

Pra fazer esquenta, alguns bons bares na zona norte são: Fiteiro, Bar do Neno, Guaiamum Gigante (Parnamirim), Recanto Paraibano.
Na zona sul: Camarada, Boteco, Guaiamum Gigante (Boa Viagem), Avenida do Chopp.

Se ainda tiver dúvida do que fazer, acesse o site Agenda do Recife, com uma programação completa de tudo que se tem para fazer na cidade.

Se quiser alugar carro em Recife, procure por Eduardo Araújo através do 81 9862 8666. Ele conta com uma frota bem nova de carros e com preços bem em conta.

Mas fique esperto, policiamento de lei seca em Recife é tenso.
Portanto, se beber não dirija!

Caso queira dar uma avaliada nos principais pontos turísticos antes de ir, confira o site Recife 360º.

Um novo site sobre turismo rural em Pernambuco foi lançado pela APETURR.

Só um detalhezinho importante para quem gosta: a Skol do Recife é a melhor cerveja que há no mundo!

Receba roteiros incríveis do Blog do Papito



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas de Viagem: Okinawa

Dicas de Viagem: Nagoya

Dicas de Viagem: Kansas City e Redondezas