Dicas de Viagem: Lençóis Maranhenses

Objetivo da viagem: conhecer os Lençóis Maranhenses, no município de Barreirinhas, no Maranhão, e na volta dar uma passada por São Luís.

Planejar essa viagem não foi tão fácil como costumava ser planejar qualquer outra viagem até então. Os voos partindo de São Paulo para São Luís ou eram muito cedo ou eram muito tarde.
Outra coisa: não havia voos diretos, todos eram com escala ou conexão.
Peguei um voo com conexão em Fortaleza na ida e com conexão em Brasília na volta.

O aeroporto de São Luís Marechal Cunha Machado fica muito perto da rodoviária. Um táxi não sai mais que R$ 7,00.
Uma coisa muito importante que serviu no final da viagem: o aeroporto de São Luís conta com o serviço de guarda-volumes.
Ligando para o balcão de informações da rodoviária procure por Hugo, que pode dar muitas dicas turísticas sobre o Maranhão.

Chegando na rodoviária procurei o guichê da Cisne Branco, que faz o trajeto São Luís-Barreirinhas por R$ 29,00. São 5 horas de estrada.
Existe transportes alternativos em vans que saem de São Luís para Barreirinhas. Custa R$ 35,00, a viagem é mais confortável e mais rápida.

Uma hospedagem que valeu muito a pena foi na Pousada Lúcia Bacellar. O telefone de lá é (98) 3349.0722.
Para acertar o preço procure falar com a própria Lúcia, que divide seu tempo entre Barreirinhas e São Luís.
A pousada é muito ajeitadinha. Prefira os chalés. Que tem banheiro, frigobar e condicionador de ar. O café-da-manhã é regional, com muito cuscuz, ovos, frutas e sucos. O atendimento é de primeira. E a pousada fica de frente para o rio Preguiça e para a única duna da cidade de Barreirinhas.
Para acertar todos os passeios no Parque Lençóis Maranhenses fale com o gerente da pousada, Seu Luís.
Ele consegue todos os passeios (de Toyota, de barco, de quadriciclo...) a preços bem mais baratos que os cobrados nos balcões das agências.
UPDATE: a pousada não pertence mais a Lucia Bacellar e o atendimento já não é mais o mesmo, apesar da estrutura ser a mesma.

Primeiro dia chegada e acomodação na pousada. O melhor horário para o passeio da Toyota é a tarde, com o sol mais fraco. Mas cobre dos motoristas das Toyotas para que eles se desloquem o mais rápido possível para a balsa, pois dependendo da época do ano a fila é de mais de uma hora para a travessia de 10 minutos, e depois ainda tem uma trilha na areia fofa do parque que dura mais meia hora, até chegar aos Grandes Lençóis. O passeio falando com Seu Luís fica por R$ 40,00 por cabeça.

A Toyota sai pegando todos os passageiros nas pousadas e depois vai para a fila da balsa. Na balsa o comandante fica escutando em alto volume os Aviões do Forró o dia inteiro (tanto na ida como na volta). Após uma espera de uma hora, a Toyota sobe na balsa e após 10 minutos estamos do outro lado do rio.
Na Pousada LB vale a pena pedir a Dona Raimunda (esposa de Seu Luís) uma caixa de isopor e colocar um monte de cerveja dentro para fazer os passeios. Se você quiser pode pedir a Seu Luís para ir comprar gelo para você.
Não vacile, apesar do vento forte refrescar bastante, não hesite em atolar filtro solar no corpo, pois o sol maranhense queima violentamente.

Após a trilha em areia fofa e a Toyota balançar mais que sino de igreja em dia de domingo chega-se aos Grandes Lençóis. O visual é surpreendente. A forma das dunas, a areia branquinha, as diversas lagoas espalhadas (Azul, da Preguiça, entre outras que ainda não foram batizadas).



Vale a pena fazer uma caminhada pelas dunas e conhecer algumas lagoas. Nelas, você pode tomar um banho friozinho. O dia é uma mistura de aventura na balsa e na trilha e depois de total relaxamento, apreciando as dunas e lagoas.





No final do dia, você pode apreciar o belo por-do-sol em cima de alguma dessas dunas.



À noite uma boa opção é ir à pé da pousada até a Avenida Beira-rio e caminhar pelo calçadão, onde existem vários bares e restaurantes, e as pessoas se deliciam à beira do rio Preguiça e da gostosa brisa maranhense.



Uma dica é o restaurante Brisa do Rio, que serve um delicioso peixinho ao molho de camarão, acompanhado do conhecido arroz de cuxá, receita típica maranhense.



No segundo dia acordar cedo, tomar um delicioso café-da-manhã na pousada, encher o isopor de cerveja e esperar o barco que vem buscar para o passeio no rio Preguiça com destino aos Pequenos Lençóis, passando por Mandacaru, uma pequena vila onde a maior atração é o farol Preguiças, e Caburé, onde finalmente se chega ao mar maranhense.



O passeio no rio Preguiça de barco dura mais de meia hora até chegar ao primeiro destino: os Pequenos Lençóis. Lá é possível andar nas dunas, que tem coloração mais amarelada, e se encantar com os efeitos visuais provocados pelo sol e pela areia, que dão a impressão que há uma duna onde, de fato, não existe.



Nessa parada ainda é possível ver um bando de micos pulando nos galhos e vindo até os humanos para receber bananas ou mangas.



Após essa parada nos Pequenos Lençóis, volta-se ao barco e segue com destino à Mandacaru. Nesse pequeno vilarejo é possível antecipar o almoço, já que lá em Caburé os valores são maiores.
O farol Preguiças dá uma visão panorâmica muito boa de todo o litoral e do rio Preguiças. O vilarejo também é legal para comprar artesanatos. Achei os preços mais baratos do que na própria São Luís.



Depois da visita ao farol e comprar artesanatos, pega o barco novamente e vai até Caburé. Lá existem vários restaurantes na beira da praia. Um prato cheio de camarão para duas pessoas comerem até morrer, custa R$ 48,00.
Tomar banho em qualquer mar é sagrado e não foi diferente lá no Maranhão. A água é uma delícia e o mar é bem revolto. Dá para pegar alguns jacarés e tomar alguns caldos. Nesses restaurantes eles disponibilizam redes, que depois de comer e pegar um marzão, vale a pena demais deitar e tirar um cochilo.



Pega-se o barco e retorna direto para a pousada.

À noite novamente passear pela Beira-rio. Dessa vez vale muito a pena apreciar a deliciosa cozinha do melhor restaurante da orla: o Dona Maria.
Uma coisa legal do restaurante é que se você levar seu vinho eles não cobram o serviço de rolha. O ambiente interno possui ar condicionado e é todo em vidro, para poder apreciar a vista do rio Preguiças e sua orla.

No terceiro dia peguei uma carona com uma moçada que estava na pousada e fui para São Luís. Deixei as malas no guarda-volume do aeroporto.
Liguei para o taxista Carlos Antônio - (98) 8841.1924, que fez uma viagem de ida e volta do aeroporto para o centro histórico de São Luís, com horário marcado para o retorno, por apenas R$ 45,00.
Pegue um mapa no balcão turístico do aeroporto e vá bater perna lá no centro histórico. É possível visitar vários monumentos, igrejas, lojas de artesanato e mercados públicos, além de aprecisar a arquitetura do local. Dependendo do tempo que ficar por lá, pode ver a maré secar completamente e depois encher de uma forma impressionantemente rápida.





Coisas que você não deve deixar de trazer do Maranhão: uma garrafinha do refrigerante Jesus, o mais popular do estado, comprado pela Coca-Cola há algum tempo; geléia de pimenta, é uma delícia com um filezinho; geléia de cupuaçu; artesanatos.

Uma boa viagem!

Comentários

  1. Olá, caro, muito grato por seu texto, elucidativo para uma viagem como essa. Eu quero te perguntar se você acha este roteiro confortável para uma criança de 4 anos?

    Valeu e parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Caro Felipe, o hotel que fiquei em Barreirinhas é bem simples, mas vi crianças por lá, tanto no hotel quanto nos passeios. O passeio de lancha é mais tranquilo que o passeio na Toyota, que balança bastante e que em determinados momentos parece que vai tombar de lado. E não esqueça de levar bastante protetor solar para a criança. Um abraço e boa viagem!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, parabéns por suas dicas. Me valeram muito.
    A pousada é tranquila e aconchegante, fui a inúmeros passeios - Grandes Lençóis (Lagoa Bonita), Pequenos Lençóis, um passeio vislumbrante sobre o Rio Preguiças rumo a Mandacaru e Caburé e uma aventura com bóias no rio Cardosa. Realmente o almoço no Caburé é muito caro, mas a economia é obtida pelo pacote da pousada, que é o melhor em custo-beneficio. Sobre a pergunta acima, eu digo que também levei minha filha e ela suportou tudo, mas sofreu com muitos enjoos na viagem rumo aos Lençóis. Para crianças, a dica é optar pela Lagoa Azul na viagem em lugar da Lagoa Bonita.

    Postei fotos em http://www.orkut.com.br/Main#Album?uid=16315132816833713149&aid=1301300085

    Valeu!

    ResponderExcluir
  4. Caro Adriano, agradeço pela contribuição ao blog. Suas fotos ficaram muito boas. E que bom que você gostou do roteiro. Espero que leia outros aqui e que eles também sejam proveitosos. Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Olá, gostaria de saber se os onibus que saem da rodoviaria de são luis para barreirinhas, saem todos os dias e quais os horários.Por favor me responda, pois vou chegar no aeroporto às 12;30hs e já quero ir pra barreirinhas.Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Para checar o horário dos ônibus, basta entrar no site da Cisne Branco (http://www.cisnebrancoturismo.com.br/). Para hoje ainda tem duas saídas: uma às 14:00 e outra às 19:00. Caso não consiga pegar um ônibus, existe a opção das vans. Boa viagem!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Dicas de Viagem: Okinawa

Dicas de Viagem: Nagoya

Dicas de Viagem: Kansas City e Redondezas